04

Entenda a depressão e suas causas

A depressão é uma doença que vem sendo abordada com bastante frequência e seus índices vêm aumentando a cada dia na população mundial. Mas, ainda assim muitas pessoas desconhecem a sua origem, causas e sintomas. Hoje iremos tirar algumas dessas dúvidas, confira!

Só no Brasil são registrados em média 2 milhões de casos todo ano. Em geral a maioria das pessoas diagnosticadas com depressão não têm ciência da doença e procuram um médico por outros motivos, sem reconhecerem a depressão como uma das causas.

A depressão se dá principalmente pelo estado constante de melancolia, angústia, ansiedade, desânimo, baixa autoestima, isolamento social, falta de energia para desempenhar atividades rotineiras e, sobretudo, tristeza profunda ou apatia. Também pode se apresentar com sintomas físicos como alterações do sono, cansaço físico, dores pelo corpo ou dor de cabeça, aumento ou ganho de peso e alterações gastrointestinais.

Entre as principais causas da depressão estão a combinação de fatores biológicos, psicológicos e sociais de angústia.

Condições clínicas como doenças carenciais como a anemia, hipotireoidismo, menopausa ou andropausa, obesidade, estados demenciais, portadores de doenças crônicas ou acamados podem desenvolver os sintomas.

Algumas pesquisas afirmam que problemas em certas funções neurais, com redução dos níveis de neurotransmissores (dopamina, serotonina, noradrenalina), resultam em uma atividade anormal do cérebro, e também podem ser a causa da doença.

Eventos traumáticos como perdas de um ente querido, abusos, um acidente ou outra situação de estresse agudo são causas que funcionam como gatilho para o aparecimento dos sintomas.

Entretanto, é importante entender que a depressão é uma doença das emoções, envolvendo aspectos socioculturais e a espiritualidade, em que o indivíduo não consegue reagir positivamente as suas adversidades. Pode evoluir em vários níveis de intensidade e duração e seu tratamento deve ser individualizado.

O terapia da depressão requer persistência e apoio das pessoas que estão em volta de quem sofre com a doença.

O acompanhamento médico é fundamental para determinar as causas da doença, fatores psicossociais, crenças, estilo de vida, bem como avaliar o melhor tratamento, que pode ser a base de medicamentos ou não. Fitoterapia e práticas ortomoleculares também podem ser prescritas com bons resultados. A psicoterapia sempre está indicada, pois a origem é emocional. E algumas mudanças no dia a dia auxiliam e muito no reestabelecimento da saúde mental, como exercícios físicos regulares, equilíbrio alimentar e da flora intestinal, meditação, técnicas de relaxamento ou Yoga, recuperação do sono, e o fortalecimento de crenças positivas.

A família é uma parte importante na hora do tratamento da doença, afinal a mesma não afeta apenas quem tem a depressão, como as pessoas ao seu redor. Por isso é tão importante o incentivo e o apoio de todos ao redor!