dr-mara-diabetes

Como Baixar a Glicose Naturalmente

dr-mara-diabetes

Hoje, no Dia Internacional do Diabetes, vamos falar um pouco sobre essa doença e como a Nutrologia e as práticas da Medicina Integrativa podem auxiliar no seu tratamento.

A diabetes é uma doença cada vez mais prevalente na população e bastante conhecida pelos brasileiros. Felizmente existem tratamentos eficientes para combater seus efeitos e cada vez mais as pessoas também adquirem conhecimento a respeito de suas causas. No entanto, um dos temas mais procurados por quem enfrenta o problema é descobrir como baixar a glicose, para controlar a doença e evitar suas complicações.

É necessário entender a Diabetes, quais são os seus tipos e causas que possibilitam seu surgimento, assim fica mais fácil a compreensão do tratamento e como melhorar a qualidade de vida dos pacientes portadores da doença. Confira tudo logo abaixo!

O que é a diabetes

De forma geral, a diabetes é uma doença inflamatória crônica em que o organismo tem um problema no sistema metabólico, que ocorre por conta da falta de insulina ou mesmo porque ela não consegue desempenhar suas funções corretamente, e o resultado de tudo isso é o aumento da taxa de glicose (açúcar) no sangue. A doença está relacionada à região do pâncreas, pois é justamente nesse órgão que a insulina deveria ser produzida.

A função da insulina é possibilitar que o açúcar distribuído no sangue possa entrar nas células e se converter em energia para o funcionamento do corpo, mas quando ela não está presente no corpo ou mesmo não consegue agir, os níveis de glicose no sangue aumentarão, resultando em diabetes e é por isso que todos que sofrem com esse mal estão sempre em busca de como baixar a glicose.

Os tipos de Diabetes

Existem dois tipos de diabetes mais comuns, 1 e 2, sendo que cada um deles é ocasionado por fatores específicos. O tipo 1 é autoimune e aparece durante a infância ou mesmo adolescência, sendo que sua principal característica é a falta de insulina no organismo. Os sintomas são vários, como boca seca todo o tempo, vontade frequente de urinar e mesmo perda de peso repentinamente.

Já o diabetes tipo 2 é o mais comum, e pode ser resultado tanto de fatores genéticos quanto ambientais, como sedentarismo, obesidade e consumo excessivo de açúcar e carboidratos refinados. Os sintomas são bem parecidos com o primeiro, como o sentimento de sede constante, fome excessiva, vontade de fazer xixi frequentemente, além de dificuldade para a cicatrização de feridas. No diabetes tipo 2, é comum numa fase inicial a resistência à insulina, ou seja, para manter a glicose no sangue normal, o pâncreas produz altos níveis de Insulina já que elas são ineficientes. Isto leva ao acúmulo de gordura no fígado e no tecido adiposo e evolui gradativamente para níveis aumentados de glicose no sangue, até o desenvolvimento da Diabetes.

Diagnóstico

Diversos serviços de saúde dispõem de glicemia capilar para triagem rápida.

Além disso, a glicose no sangue é solicitada de rotina pela maioria dos médicos, principalmente para os indivíduos sintomáticos ou aqueles com fatores de risco, como no caso de pessoas com sobrepeso (IMC >25) ou obesidade (IMC >30).

A glicemia normal em jejum deve ser menor que 100mg/dl.

Para o diagnóstico do Diabetes, a glicemia em jejum é igual ou maior que 126mg/dl.

Já os indivíduos que apresentam valores intermediários são chamados de pré diabéticos devido à sua Intolerância a Glicose.

Causas do Diabetes

A Diabetes é multifatorial, ou seja, uma combinação de fatores genéticos e ambientais. Entretanto, por ser uma doença inflamatória, sabemos que os fatores associados ao estilo de vida são essenciais no seu desenvolvimento,  pois alteram nossas funções metabólicas e deixam nosso sistema imune sempre em alerta. Citamos:

  • Má nutrição, principalmente associada ao consumo elevado de alimentos industrializados, ricos em carboidratos simples e açúcares, gordura hidrogenada e substâncias químicas;
  • Disbiose intestinal, que é o desequilíbrio entre as bactérias patogênicas e aquelas que trazem benefício a nossa saúde;
  • Sedentarismo;
  • Toxinas, tais como agrotóxicos, conservantes, metais pesados, tabaco, poluição, entre outros;
  • Infeções crônicas, muitas vezes silenciosas
  • Estresse e fatores relacionado as emoções.

Não há segredo e nada mais eficiente do que seguir uma vida saudável com dieta regrada e rotina de exercícios físicos, ou seja, nada além do que qualquer outra pessoa saudável precisa fazer em seu dia a dia mas com um cuidado maior quanto a ingestão de carboidratos.

Para começar, invista em exercícios físicos que tenha a ver com seu gosto pessoal, pois a atividade também precisa ser prazerosa e isso aumenta a chance de se transformar em um hábito. O açúcar presente nos doces, pães e massas é considerado como “açúcar simples” ou carboidrato refinado e tem um alto índice glicêmico – o que aumenta as taxas de glicose no sangue. Isso significa que estes carboidratos devem sem evitados na rotina alimentar. A fonte deve ser buscada em alimentos que possuem os chamados carboidratos complexos como a batata doce, batata yacon, vegetais, sementes como a chia, ou as oleaginosas e grãos integrais, como a quinoa por exemplo.

A importância de controlar o peso

Um dos fatores que pode desencadear o surgimento da diabetes em alguém é o excesso de peso e não estou dizendo apenas sobre os casos de obesidade, mas pequenos acúmulos de gordura corporal também. Então, não procure melhorar seu peso apenas por questões estéticas, mas cuide dele em nome de sua saúde também.

Controlando a doença

As bases da Medicina Integrativa tratam as doenças crônicas abordando suas causas.

Assim, além da correção alimentar e dos exercícios físicos, trata-se  “o terreno”, limpando as toxinas, infecções e inflamações presente no corpo, o que gera melhora na qualidade de vida e eficácia na terapêutica do Diabetes, muitas vezes reduzindo doses de remédios ou até mesmo de Insulina, naqueles que a usam.

Dicas Finais

Por mais que existam remédios para tratar a doença, a alimentação continua sendo muito importante para manter a doença estável, através do controle da ingestão de carboidratos e apostando nos tipos certos, aumento do consumo de fibras, além de se evitar açúcar no geral. Seguindo uma dieta equilibrada e praticando exercícios, não há porque sua diabetes ser motivo para preocupação.